Renda Variável

4 Flares 4 Flares ×

renda variavel1

Entende-se como renda variável, os ativos cuja remuneração ou retorno de capital não é conhecido no momento da aplicação, diferentemente da renda fixa que isto acontece.

Neste caso podendo ocorrer uma variação positiva ou negativa, dependendo da variação do mercado.

Alguns dos investimentos de renda variável são: ações, fundos de renda variável (fundo de ação, multimercado e outros), quotas ou quinhões de capital, Commodities (ouro, moeda e outros) e os derivativos (contratos negociados nas Bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas).

A renda variável, justamente por conter mais riscos pode em contrapartida trazer um maior retorno financeiro, claro que irá depender muito do investimento que foi feito, por isso há necessidade de conhecer o mercado e onde você está colocando o seu dinheiro é de fato a parte que precisa ser bem analisada.

Por este motivo também é necessário que a pessoa que efetua um investimento em renda variável não precise do dinheiro para gastos com contas de imediato, ou seja, é aconselhável que o investimento seja para obter um retorno a longo prazo, que neste caso é mais possível que se consiga um melhor rendimento financeiro.

A escolha pela aplicação em renda variável, irá depender também do perfil do investidor, pois de uma certa forma, uma das influências para essa aplicação é a idade do investidor, ou seja, basicamente quanto mais novo melhor para investir.

O motivo é que a preocupação com o dinheiro é menor pelo fato de ter o tempo a seu favor, pois pode se recuperar caso ocorra algum imprevisto, agora uma pessoa que tem mais idade pretende ter mais segurança nos investimentos para manter sua renda equilibrada.

As oscilações do mercado são os grandes violões ou não para quem investe em renda variável, pois a situação econômica do país é o que vai refletir no cenário, podendo ser pela expansão ou crescimento, recessão, inflação ou deflação, através deles que direcionam a movimentação do mercado.

O investimento em ativo de renda variável mais comum é o mercado de ações.

Para saber como investir em ações em poucos passos, acesse esse nosso artigo aqui:

#Como investir em ações, em poucos passos!

As ações são pequenas partes de uma empresa, representada por títulos. Com uma ou mais ações você já se torna sócio de uma empresa.

Podemos definir ações como títulos nominativos negociáveis que representam, para quem as possui, uma fração do capital social de uma empresa.

Obtendo ações você se torna sócio de uma empresa e têm direitos assegurados em Lei em decorrência disso, inclusive direito a receber dividendos e bonificações se a empresa der lucro.

Você pode comprar e vender quando achar necessário utilizando um intermediário, que pode ser uma corretora de valores ou um banco, ou mesmo através de um clube de investimentos.

No caso das ações, não existe um valor mínimo para se investir. A variação ocorre mesmo dependendo das ações que você deseja comprar e também da corretora que escolher, por isso é bom pesquisar e entender um pouco do assunto, para saber onde está colocando seu dinheiro.

As ações podem ser, Ordinárias (ON), que no caso concedem direito de voto nas assembleias da empresa, ou Preferenciais (PN), que dão preferência no remuneração de resultados ou no reembolso do capital em caso de lucro da empresa. Entretanto, as ações preferenciais em geral, as empresas não concedem o direito de voto.

O controle do mercado de ações no Brasil é feito pela Comissão de Valores Imobiliários (CVM) que é um órgão estatal.

Existe a lei de criação da CVM (6385/76) e também a lei das Sociedades por Ações (6404/76) que disciplinaram o funcionamento do mercado de valores mobiliários e a atuação de seus protagonistas, desta forma sendo, as companhias abertas, os intermediários financeiros e os investidores, além de outros cuja atividade gira em torno desse universo principal.

O Índice Bovespa (Ibovespa) é o mais importante indicador do desempenho do mercado de ações brasileiro, pois retrata o comportamento das principais ações negociadas na BM&FBOVESPA.

Além do mercado de ações podemos classificar outros investimentos sendo de renda variável, tais como:

→ Investimento em franquias

A franquia empresarial é o sistema pelo qual uma empresa (franqueador) cede a outro empreendedor (franqueado) o direito de fazer uso de sua marca ou patente, distribuir seus produtos ou serviços e utilizar sua tecnologia e conhecimento de negócios.

→ Investimento em um negócio próprio

Investir em alguma loja ou empresa para gerar renda e ampliar seu capital. Há inúmeras ideias de negócios, indicamos dar uma passada no site Pequenas Empresas, Grandes Negócios , onde encontra no banco de ideias, vários opções de investimento em negócio próprio.

→ Criação de um produto para venda e/ou revenda

Consiste em criar uma marca ou produto registrado em seu nome e coloca-lo no mercado para que seja comercializado.

→ Fundos imobiliários

Os Fundos Imobiliários tem por objetivo aplicar recursos em negócios com base imobiliária, como desenvolvimento de empreendimentos imobiliários, imóveis já prontos ou títulos financeiros imobiliários, como CRI, LH, LCI ou cotas de fundos imobiliários já constituídos.

Na maior parte dos FII’s o investimento se resume a comprar um imóvel para receber a renda do aluguel e se aproveitar da valorização.

Entre outros.

Falaremos muito sobre esses tipos investimentos de renda variável mais detalhadamente em nossos próximos artigos, sendo assim, se quer aprender um pouco mais para se aventurar nesse mundo de investimentos, proponho acompanhar nosso site e ficar por dentro de todas as novidades.

Nossa intenção é ajudar a ampliar o seu conhecimento, então não fique de fora, cadastre seu email e receba nossos artigos e nossas novidades gratuitamente.

Abraços e até a próxima!